Notícias

Rumo ao 3º Congresso: leia a resolução política da Direção Executiva da Fitmetal

A preparação para o 3º Congresso, convocado para 11 e 12 de fevereiro de 2022, é prioridade máxima na agenda da Federação.


POR

Publicado em 07 de dezembro de 2021


A Direção Executiva da Fitmetal, reunida em 2 de dezembro de 2021, debateu e aprovou a seguinte resolução:

1. A preparação para o 3º Congresso da Fitmetal, convocado para 11 e 12 de fevereiro de 2022, é prioridade máxima na agenda da Federação. Os debates congressuais acontecerão num contexto desafiador para o conjunto do movimento sindical, especialmente para os metalúrgicos.

2. O balanço da gestão 2017-2021 é positivo. Mesmo com dificuldades, os dirigentes eleitos no 2º Congresso da Fitmetal, em 2017, enfrentaram a reforma trabalhista e outros retrocessos do governo Temer, além da agenda autoritária, ultraliberal e antipovo do presidente Jair Bolsonaro. Diante da pandemia de Covid-19, a Federação soube utilizar as ferramentas de trabalho virtual e intensificou o diálogo com as bases, promoveu diversas atividades de debate e formação, apoiou as candidaturas metalúrgicas nas eleições 2020 e realizou com sucesso, em maio de 2021, a Plenária Nacional da Categoria Metalúrgica.

3. A fim de iniciar as discussões rumo ao nosso 3º Congresso, promovemos, na última terça-feira (30), o debate "As transformações no mundo do trabalho e os desafios do movimento sindical", com a participação do sindicalista Nivaldo Santana (CTB) e do sociólogo Giovanni Alves. A atividade faz parte de um ciclo que antecede o Congresso e dará subsídios para a elaboração das teses a serem debatidas na plenária final.

4. Ao decidir dar centralidade à luta política de 2022, a Fitmetal reforça como prioridade, na ordem do dia, a necessidade de derrotar o bolsonarismo. Não há resultado político favorável à classe trabalhadora sem derrotarmos Bolsonaro e seus correligionários no Congresso Nacional, que a todo momento atacam os trabalhadores e suas organizações sindicais, retirando direitos e precarizando ainda mais as relações de trabalho.

5. Além disso, a crise sanitária e política, o alto desemprego e o processo de desindustrialização escancaram a grave crise pela qual passa o Brasil. Para enfrentar essa realidade adversa, é essencial o fortalecimento da Fitmetal e a unidade dos(as) metalúrgicos(as) em nível nacional. Entre outras ações, devemos orientar as entidades filiadas e parceiras a promoverem o debate e a luta política, vislumbrando o lançamento, se possível, de candidaturas metalúrgicas na disputa eleitoral de 2022. É necessário que os espaços políticos sejam ocupados por representantes da classe trabalhadora.

 

Por uma Federação mais forte, renovada, classista e de luta!

Fora Bolsonaro!


Betim, 2 de dezembro de 2021.

DIREÇÃO EXECUTIVA DA FITMETAL